Casos

Filtrar casos:

Pesquisa sobre Percepção Pública da CT&I no Brasil

No Brasil, a primeira pesquisa sobre a percepção pública da Ciência e Tecnologia (C&T), ocorreu em 1987, promovida pelas instituições Mast/CNPq/Gallup. Em 2006, promovida pelo então Ministério da Ciência e Tecnologia, houve a primeira série quadrienal de uma pesquisa nacional com o intuito fazer um levantamento do interesse, grau de informação, atitudes, visões e conhecimentos dos brasileiros em relação à C&T. As séries seguintes ocorreram em 2010 e 2015, sendo a última realizada pelo agora Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), por meio do Departamento de Popularização e Difusão da C&T (DEPDI), em uma parceria com o Centro de Gestão de Estudos Estratégicos (CGEE).

Todas as informações obtidas por meio da sequência de três séries da pesquisa sobre “percepção pública da C&T” propiciaram aos gestores públicos a compreensão da relação dos brasileiros com a ciência e a tecnologia, de modo geral. Tais dados contribuíram para a formulação de políticas públicas mais ajustadas ao perfil nacional, incluindo a capacidade de aceitação das inovações tecnológicas e a possibilidade de ensino das ciências e sua popularização.

Na esteira da necessidade de continuar tal análise histórica, fez-se necessário a realização da quarta rodada da pesquisa para coletar informações dos brasileiros de forma representativa, sobre assuntos abordados nas etapas anteriores e a adição de novos temas como mecanismos de participação, valores na época das mídias sociais e fake news, entre outros.

Assim, em 2019, o Centro de Gestão de Estudos Estratégicos (CGEE) contratou a Herkenhoff & Prates para realização de uma pesquisa nacional amostral para captação da percepção pública acerca da CT&I no Brasil.  Esse trabalho foi realizado em parceria com a Quaest Pesquisa e Consultoria, responsável pela coleta dos dados sob a supervisão e orientação da Herkenhoff & Prates.

 

Desafios

Uma pesquisa aplicada em âmbito nacional requer um desenho metodológico robusto e bem estruturado, sendo este um dos principais desafios para sua execução. A elaboração do questionaria de forma que este contemple todas as questões importantes a serem levantadas, com uma linguagem que seja compreensível para a população e, também, seja adequado ao tempo previsto para execução da pesquisa, é outro grande desafio.

O desenho metodológico para a pesquisa de Percepção Pública sobre CT&I no Brasil, exigia um trabalho de comparação com os resultados das rodadas anteriores. Entretanto, havia poucas informações sobre os desenhos de campo das rodadas anteriores, exigindo maior investimento de esforços para a execução da pesquisa.

 

A Solução

As atividades realizadas pela Herkenhoff & Prates para captação da percepção pública acerca da CT&I, no Brasil foram estruturadas em um Plano de Trabalho robusto.

Foi realizado um Survey, pesquisa quantitativa que tem por característica principal fornecer um retrato de como está a opinião da população em um determinado momento do tempo. Esta técnica consiste na aplicação de questionários padronizados e estruturados a uma amostra representativa do universo pesquisado, permitindo a construção de tabelas de frequências simples, cruzamentos de variáveis e diversos outros processamentos estatísticos que se mostrem importantes para a análise do tema da pesquisa.

O público-alvo da pesquisa foi a população brasileira, acima de 16 anos e menor que 75 anos. Um total de 2.200 entrevistas foram realizadas, com margem de erro de 2,2% e nível de confiança de 95%.

O instrumento foi desenvolvido em plataforma digital e aplicado por meio de dispositivos eletrônicos (tablets e smartphones). Essa estratégia dá agilidade ao processo de pesquisa, minimiza riscos de preenchimento inadequado do formulário e permite a validação dos dados, gerando ganhos para a sistematização e análise. Além disso, esse método permite que os dados coletados estejam acessíveis just in time, enquanto a pesquisa é realizada, por meio de ambiente online.

Foi realizado pré-teste com 50 pessoas distribuídas nas 5 regiões do país, que resultou em ajustes para o questionário, deixando-o mais fluido

Para a execução da pesquisa nas especificações e prazos planejados, a Herkenhoff & Prates contou uma equipe de aproximadamente 90 entrevistadores, 11 verificadores e 15 supervisores, todos com experiência pregressa para o desenvolvimento do trabalho. A equipe de pesquisadores contou ainda com o apoio e acompanhamento presencial e constante da gerência do projeto.

Foi aplicada tecnologia de ponta de georreferenciamento e processamento para que os resultados fossem computados instantaneamente. Isso permitiu que o cliente acompanhasse o desenvolvimento da coleta em tempo real por meio de Dashboard de visualização descritiva. Todos os dados coletados foram submetidos à verificação de suas consistências.

Resultados

O campo para aplicação da pesquisa foi executado conforme previsto no plano de trabalho. Não houve incorrências ao longo de toda a execução e todas as ações previstas foram executadas. Foram elaborados relatórios de campo, que sistematizaram, de forma descritiva, a execução de todas as etapas da pesquisa visando consolidar uma memória sobre a rodada de 2019; e relatórios gerenciais, contendo mapas, gráficos e tabelas das informações levantadas na pesquisa e descrição dos resultados obtidos.

Os resultados obtidos foram apresentados presencialmente à equipe do CGEE e MCTI, para discussão sobre as conclusões, as recomendações e as sugestões e, também, durante a 71ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC),

 

Contato