Notícias

Filtrar notícias:

“Diálogos Transversais”: saiba como foi o evento

Em parceria com Fundação João Pinheiro, o CLEAR, a Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação (RBMA) e o BIRD/Banco Mundial, a Herkenhoff & Prates realizou, no dia 6 de junho, no campus Brasil da Fundação João Pinheiro, a terceira edição Seminário “Diálogo Transversais FJPx: os desafios do monitoramento e da avaliação na gestão pública”.

O “Diálogos Transversais” compõe a Semana Latino-Americana de Avaliação (Eval week), que desde 2015 reúne atores da sociedade civil, comunidade acadêmica e setor público para organização de diferentes atividades relacionadas ao tema Monitoramento e Avaliação, especialmente de programas públicos.

O evento foi aberto por Pedro Olinto, do BIRD/Banco Mundial, trazendo o debate sobre “A centralidade de um sistema de monitoramento e avaliação para uma gestão criadora de valor público”.

Em seguida, iniciando o ciclo de palestras com a “FJPx” , uma dinâmica  em que cada palestrante concluiu sua fala em até 15 minutos, Rômulo Paes, da Fiocruz, explicou “Por que o monitoramento e avaliação de políticas é um eixo estratégico para a gestão pública?”. Em sua apresentação, Rômulo mencionou a importância da Avaliação para trazer racionalidade para as Políticas Públicas e para a própria Política. Falou, também, da avaliação como instrumento de transparência e ferramenta de participação social, podendo qualificar o diálogo entre os agentes políticos que interagem com o Estado através de informações mais qualificadas.

Francisco Gaetani, da FGV/RJ, deu continuidade aos debates trazendo a perspectiva da importância do monitoramento, considerando a necessidade de pensar soluções e dar respostas em tempo real. A palestra de Gaetani teve como tema “A revolução digital tornará os processos de Monitoramento e Avaliação supérfluos?”.

Lycia Lima, do CLEAR, trouxe a reflexão quanto à “Como as avaliações podem produzir mudanças e impactos na sociedade?”. Ela explicou que a Avaliação não é um veredito, mas um exercício contínuo de produzir evidências e aprendizado, afirmando que “Mesmo que não sejam utilizadas pelo Poder Público, as avaliações podem produzir impactos na opinião pública”.

Para fechar o ciclo de debates do Seminário, Clarice Mendonça, consultora da Herkenhoff & Prates, apresentou sua experiência em relacionamento com comunidade e trouxe reflexões sobre “Como superar os desafios na comunicação de resultados das avaliações?”. Clarice falou sobre as boas práticas para comunicar a avaliação para gestores e comunidade e, elucidando os pontos tratados, apresentou cases de projetos que propunham uma abordagem mais efetiva para apresentação de resultados.

As dinâmicas com os participantes do evento foram pensadas com o intuito de inspirar os participantes por meio de palestras e estudos de caso. Para facilitar o debate, foi realizada a dinâmica Word Café, que propõe um diálogo mais aproximado entre os participantes e palestrantes, utilizando de uma forma mais lúdica de interação para que haja maior liberdade no processo de construção coletiva de ideias. Atuando dessa forma, foi possível observar uma maior efetividade na produção conjunta de conversas construtivas sobre os desafios de monitoramento e avaliação.

Para nortear as conversas do Word Café, os especialistas convidados compartilharam suas experiências na área de Monitoramento e Avaliação. Os diálogos foram estabelecidos da seguinte forma:

  • Cinthia Bechelaine (BDMG), com o tema “A prática de monitoramento e avaliação no setor público: o caso de Minas Gerais”;
  • Andrezza Rosalém (OPE Sociais), falou sobre “A institucionalização do sistema de monitoramento e avaliação no estado do Espírito Santo;
  • Rômulo Paes voltando para tratar “A institucionalização do monitoramento e avaliação no setor público: o que sabemos sobre isso”;
  • Lycia Lima também voltou, agora para compartilhar os “Desafios para institucionalização das políticas públicas baseadas em evidências”.

Os resultados foram sistematizados em um painel construído com o método de facilitação gráfica. Entre os pontos fortes dos debates e reflexões, foi identificado:

  • O fortalecimento das lideranças já instituídas na implementação de um sistema de monitoramento é mais efetivo do que criar políticas do zero
  • É importante adaptar/customizar as ferramentas de monitoramento e avaliação às necessidades (locais/estaduais/nacionais)
  • É necessário promover a cultura de avaliação
  • É fundamental encontrar a ajuda certa e viabilizar a participação
  • Promover a integração de pessoas e setores, envolvendo diversos atores

A Herkenhoff & Prates e a Fundação João Pinheiro pretendem dar continuidade aos debates no intuito de fortalecer e incentivar a formação de uma rede mineira de monitoramento e avaliação.

Contato